Aproveite nosso frete grátis em compras acima de R$250.

[livros+pôster] 20 Teses sobre a subversão da metrópole & O partido de Kafka

20 TESES SOBRE A SUBVERSÃO DA METRÓPOLE

SOBRE O LIVRO

“Na metrópole, não há lugares e não lugares: há territórios ocupados militarmente por forças imperiais, territórios controlados pelo biopoder e territórios que entram em resistência. Às vezes, esses três tipos de território interpenetram-se; outras vezes, o último se separa dos primeiros; e, ainda em outras, entra em guerra contra eles. A periferia é emblemática desse ‘terceiro’ território: e se a metrópole está em toda parte, é também verdade que em toda parte está a periferia” 

A natureza relativamente curta de cada tese e o tom provocador – quase profético – em que são escritas essas 20 teses sobre a subversão da metrópole, convida a uma leitura e interpretação atentas.

As teses de Marcello Tarì não devem ser entendidas, de modo algum, como uma doutrina política definitiva. Pelo contrário, este documento, que a sobinfluencia traz em versão inédita e bilíngue, aplicado ao contexto político em que se desdobra, é uma ferramenta com a pretensão de encorajar a discussão, o debate, e a formação do pensamento crítico.

Originalmente publicado, em 2007, na Itália, como Tesi sulla sovversione della metropoli, essas teses, expostas por Tarì, são provocativas e olham para a “Metrópole” engajando-se criticamente com(contra) ela; discutindo, novas formas de resistência, além de novas “formas de vida”.

O texto explora métodos como a sabotagem e a insurreição enquanto armas que podem ser utilizadas nesta época em que vivemos e oferece pontos importantes para discussão e desenvolvimento de uma compreensão de como o capitalismo e a resistência a ele operam atualmente.

O PARTIDO DE KAFKA

SOBRE O LIVRO

Em O partido de Kafka, Marcello Tarì nos diz que Kafka é um dos grandes comunistas de todos os tempos. Sem dúvida, está correto. Mas o autor de obras como “O Processo”, “A Metamorfose”, etc., é, também, um dos mais importantes pensadores da an-arquia, já que identifica o vazio da máquina do poder e denuncia a sua principal estratégia, calcada em leis que, criadas para separar o povo e a classe proprietária, compõem uma dimensão hierárquica e violenta da sociedade.

A análise de Tarì busca conectar as linhas de fuga que, presentes de maneira fugidia na obra de Kafka, tornam possível desvelar o segredo do poder e assim desativá-lo, tornando inoperante a vigência sem significado que hoje nos subjetiva mediante uma série de afetos tristes, tais como o medo, a indiferença e a servidão voluntária.

Para tanto, é preciso tramar e conspirar para a construção de um partido de Kafka que, invisível e imaginário, aposta nas potências do comum, do corpo e das singularidades, configurando uma rede mutante e em expansão capaz de antagonizar o direito, o Estado, o capital e – por que não? – os microfascismos que se infiltram em nossos gestos mais insuspeitos.

Seguindo o fio da argumentação de Tarì, percebemos então que, longe de ser apenas um discreto escritor judeu do século passado, Kafka se configura como uma máquina de guerra voltada para a implosão do sujeito, da representação e do poder separado, conformando, ao seu modo quase cabalístico, uma forma-de-vida capaz de transmutar os portões da lei naquela pequena porta pela qual pode entrar o Messias, esse outro nome da revolução.

SOBRE O PÔSTER

O comunismo que vem será gerado pela multidão. Preparem os planos. Mantenham-se a postos.

Pôster que acompanha os livros 20 teses sobre a subversão da metrópole e O partido de Kafka, de Marcello Tarì, impresso em risografia, no papel pólen bold 90g, tamanho A3 (29,7x42cm).

(Para que nossos produtos não se encareçam no momento do envio, os pôsteres seguem dobrados, um a um, carinhosa e manualmente)